Qui tam saepe es profectus
Ut nesciam desperare,
Cuius tantum deflevi aspectus
Ut non jam queam plorare:
O care, noli profici, profici a me,
Profectione perpetua!
Nil jam valet consolari
Inopiam tui amoris:
Mi tristitia ardoris
Potius quam ipsa morte
Veniet finis.
Vale.

***

Tantas vezes já partiste
Que chego a desesperar
Chorei tanto, estou tão triste
Que já nem sei mais chorar
Oh, meu amado, não parta
Não parta de mim
Numa partida que não tem fim
Não há nada que conforte
A falta dos olhos teus
Pensa que a saudade
Mais do que a propria morte
Pode matar-me
Adeus